Apoio

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Defesa Civil de Petrópolis Reúne Órgãos para Simular Respostas a Desastres


Defesa Civil reúne órgãos para simular respostas a um desastre das chuvas

Cerca de 30 órgãos estarão reunidos nesta terça-feira (9/12), a partir das 9h30, na Secretaria de Proteção e Defesa Civil, para debater o que fariam durante um desastre das chuvas na Estrada da Saudade. Este será o exercício simulado de mesa do Plano de Contingência de Petrópolis, documento apresentado pelo prefeito Rubens Bomtempo em dezembro de 2013 e que define o que cabe a cada órgão em um desastre natural. O prefeito Rubens Bomtempo também participará do simulado.
Durante o exercício, a Defesa Civil descreverá com detalhes cada evento de um desastre fictício, como: quantidade de chuva a cada momento; local e horário de cada deslizamento; informações passadas por moradores à Defesa Civil pelo telefone 199; entre outros dados. À medida que os eventos fictícios forem acontecendo, os representantes dos órgãos irão informar o que fariam e quais recursos materiais e humanos que disponibilizariam.
“Este é o momento para erramos. Com o simulado, saberemos qual resposta não foi adequada, o que cada órgão poderia fazer diferente durante um desastre”, disse o prefeito.
Desde agosto, a Defesa Civil realizou quatro reuniões preparatórias para o simulado com representantes de órgãos envolvidos na resposta a desastres das chuvas. São órgãos municipais, estaduais, federais, empresas privadas, ONGs e concessionárias de serviço público.







Agente da Defesa Civil de Petrópolis Ministra Curso em Minas Gerais

O Assessor de Prevenção de Preparação da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, Ricardo Corrêa, está neste fim de semana no município de Visconde do Rio Branco (MG), ministrando curso sobre prevenção e administração de desastres naturais.
Ricardo Corrêa, que também é instrutor da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, irá proferir palestra sobre a experiência de Petrópolis na prevenção e na resposta a desastres das chuvas.
O Curso é voltado para agentes da Defesa Civil da região, servidores municipais de Visconde do Rio Branco, Divinésia, Guidoval, Ubá e Guiricema, e para representantes das unidades militares da área.
O Convite partiu da Prefeitura de Visconde do Rio Branco. O objetivo do curso, que começou hoje (5/12) e será realizado até sexta-feira (7/12), é fortalecer a cultura da Defesa Civil na região.
Os Cinco Municípios São Atendidos por uma Unidade Estadual de Defesa Civil.
“Vamos levar a nossa experiência em Defesa Civil para esses municípios.
A Secretaria de Proteção e Defesa Civil de Petrópolis tem um conhecimento acumulado sobre prevenção e resposta a desastres naturais, então vamos dividir esse conhecimento com esses municípios, para que eles estejam mais preparados para reduzir os riscos de desastres naturais. Lá, o maior risco é de inundação”, disse Ricardo Corrêa.
O Secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, afirmou que, por determinação do prefeito Rubens Bomtempo, a secretaria vem fortalecendo parcerias com outros municípios em relação à prevenção de desastres das chuvas.
“Desde 2013, já recebemos grupos de órgãos municipais de Defesa Civil, que vieram conhecer a nossa Secretaria, como foi o caso de São José do Vale do Rio Preto e Magé.
Também estamos sempre em contato com outras Defesas Civis, buscando projetos que possam ser implantados em Petrópolis.
A ideia é Fortalecer o Sistema Nacional de Defesa Civil, formado por todas as Defesas Civis do país.
Em uma situação de desastre, há sempre a colaboração entre municípios vizinhos. Então quem ganha com essas parcerias é a população”, disse Simão.
O Secretário ainda destacou a atuação de Ricardo Corrêa na Defesa Civil de Petrópolis.
Em março de 2013, ele foi atingido por um deslizamento no Quitandinha quando tentava convencer moradores a saírem de suas casas durante as fortes chuvas que caíam na região.
Após ficar soterrado por oito horas, Ricardo foi socorrido, ficou em coma e passou mais de quatro meses na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
“Mesmo após tudo o que aconteceu, Ricardo fez questão de voltar a trabalhar na Defesa Civil.
Ele é apaixonado por essa profissão e está sempre motivado em ajudar a salvar vidas”, disse Simão.
Por Hoje, é Só! Fiquem a Vontade para Curtir, Compartilhar, Twittar, Fazer Comentários ou Dar Sugestões.
 Estivemos com a Diretora de Meio Ambiente Gevânia Namorato, com alguns membros da Roer Petropolis, Amarildo e Carlos, Com o Sr. Ricardo Correa da Defesa Civil Nacional, membros ativos da defesa civil de petrópolis, Lucia e Patrick da sociedade civil e da empresa Grupo Donadoni, contamos ainda com o apoio da ( Prefeitura Municipal de Visconde do Rio Branco), demos inicio a uma parceria para promover a Defesa Civil e fortalecer nossa cidade para eventuais desastres, demos inicio ao um treinamento, onde buscamos aprender com os anjos e guerreiros das diversas entidades que lutaram pelas vidas de homens, mulheres e crianças, que morreram no maior desastre ocorrido na região serra do estado do Rio de Janeiro em 2011. Procuramos ajudar a desenvolver e acima de tudo zelar pelas vidas humanas de nossa cidade.
A fraqueza própria do ser humano, a clemência, a compaixão perante as desgraças e as adversidades do outro, a afabilidade e a benevolência são outras características que recebem o nome de humanidade
Seriam Fraqueza ? ou uma qualidade que nos mostra que somos capazes de mudar nossa história, ou força essa capaz de mover céus e montanhas pela vida de outros seres humanos o que motiva esse anjos guerreiros capazes de doar a própria vida em razão de uma outra vida desconhecida.
É o que podemos dizer somos irmãos, seres capazes de doar, amar e perdoar, é o que nos motiva a sempre seguir em frente mesmos que as diversidades seja insuperáveis






 Vista parcial da cidade de Visconde do Rio Branco mg






sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Convite Curso BAGER (Curso de Base Administrativa para Gestão de Risco )

Convite Curso BAGER (Curso de Base Administrativa para Gestão de Risco ) em Visconde do Rio Branco mg.
A ROER Petrópolis e A Defesa Civil Nacional através do seu Representante Ricardo Correa, ministrará o Curso Básico de Administração e Gestão de Riscos, tendo o apoio da Secretaria do Meio Ambiente de Visconde do Rio Branco MG, CIEA ZM MG, Amigos Do Xopotó e Defesa Civil de Visconde Rio Branco MG.
Este Curso será promovido nos dias 05 /06 de dezembro de 2014
O local será no Colégio Municipal Rio Branco, Rua Prefeito Ruy Bouchardet s nº, Bairro Jardim Alice.
As Inscrições antecipadas poderão ser realizadas na Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, situada na Av São João Batista, 250, Centro, ou pelo tel: 32 3559-1951
Pelo email:
meioambiente@viscondedoriobranco.mg.gov.br
ou gevania13@gmail.com



Veja como chegar ao local do curso abaixo


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Agentes da Defesa Civil recebem homenagem do Ministério da Integração Nacional

Agentes da Defesa Civil recebem homenagem do Ministério da Integração Nacional


Os três agentes da Defesa Civil de Petrópolis atingidos por um deslizamento quando salvavam vidas durante as chuvas de 17 de março de 2013 receberam homenagens do Ministério da Integração Nacional. Durante a Conferência Nacional de Proteção e Defesa Civil, em Brasília, na última semana, o ministro Francisco Teixeira entregou a Medalha Grau de Grande Oficial ao assessor de prevenção e preparação da secretaria, Ricardo Corrêa, e aos familiares dos agentes Fernando Fernandes e Paulo Roberto Filgueiras. Essa é a maior condecoração da Defesa Civil nacional.
Após o deslizamento de 17 de março de 2013, Ricardo ficou em coma e internado em CTI por quatro meses, com várias fraturas pelo corpo e insuficiência respiratória. Depois de uma melhora que impressionou familiares e amigos, Ricardo voltou ao trabalho neste ano. Fernando e “Beto” morreram no local no dia do acidente. Os três estavam na Vila São Joaquim, no Quitandinha, orientando os moradores a saírem de casa por causa das fortes chuvas.
“Trabalhar em Defesa Civil é uma grande responsabilidade. Esses três são exemplos disso”, lembrou o prefeito Rubens Bomtempo. “Agradeço, em nome do povo de Petrópolis e de todo o Brasil, ao Ricardo Corrêa e às famílias de Fernando Fernandes e Paulo Roberto Filgueiras pelo ato de heroísmo que todos tiveram. É isso que nos faz admirar aqueles que se dedicam a essa grande atribuição que é trabalhar em Defesa Civil”, disse o ministro Francisco Teixeira.
Ricardo e os familiares de Fernando e Beto receberam homenagens nas três esferas da Defesa Civil – municipal, estadual e federal. Em junho de 2013, com a inauguração da sede da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, foram entregues placas em homenagem aos três agentes. Além disso, Paulo Roberto Filgueiras deu nome ao Centro de Operações (Ceop) da Defesa Civil, e Fernando Fernandes deu nome à sede. Em dezembro de 2013, Ricardo e os familiares de Fernando e Beto receberam, da Secretaria Estadual de Defesa Civil, a Medalha Mérito de Defesa Civil.
“A medalha foi uma grande gratificação depois de muitos anos de Defesa Civil e ter vivido o que eu vivi, no intuito de tentar cada vez mais ajudar um pouco mais a população. Acredito que o trabalho da Defesa Civil está em crescimento e tem que ser reconhecido, não importa que seja por uma medalha, pelo reconhecimento da pessoa civil, em qualquer momento. É uma honra trabalhar na Defesa Civil e ajudar a população, assim como o Fernando e o Beto sempre fizeram com muita dedicação”, disse Ricardo Corrêa.
O secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, que participou da conferência, ficou emocionado com a homenagem aos agentes. “Atitudes como as dos agentes Fernando, Roberto e Ricardo vão muito além do profissionalismo esperável no desempenho da função pública. Em verdade, alcançam elevadíssimo grau humanitário e demonstram coragem e heroísmo inigualáveis. Petrópolis, ou melhor, todo o Sistema de Defesa Civil é eternamente grato a tudo o que fizeram e, em especial, ao Ricardo, por tudo o que continua fazendo, inclusive superando as sequelas físicas deixadas pelo acidente e continuando a missão de trabalhar na Defesa Civil. Seus exemplos de determinação, superação e coragem inspiram as pessoas a construir um mundo melhor e mais justo. E, para honrar a memória de Fernando e Roberto, para que seus esforços não se percam, todos nós precisamos nos empenhar cotidianamente no planejamento e na efetivação de políticas públicas de Defesa Civil que tornem as cidades mais sustentáveis, resilientes e seguras. A estes heróis deixamos a certeza que jamais os esqueceremos e que seus esforços não serão em vão”, disse Simão.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Petropolitanos São Condecorados Durante a Abertura da 2ª CNPDC


                                    
Brasília, 04/11/2014 - O Ministério da Integração Nacional entregará, nesta terça-feira (04/11), a Medalha Defesa Civil Nacional a 39 personalidades que se destacaram por relevantes serviços prestados ao País e à comunidade nacional, em assuntos de defesa civil. 

A Entrega faz parte da programação da 2ª Conferência Nacional de Proteção e Defesa Civil (2ª CNPDC), que será realizada de hoje até sexta-feira no Centro Internacional de Convenções (CICB), em Brasília.

As Primeiras Condecorações foram antecipadas ontem (03) à noite aos:

- Ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira; 

- Secretário-executivo da Pasta, Irani Ramos; e 

- Secretário nacional de Defesa Civil, general Adriano Pereira.

Caberá aos Três Comandar a Condecoração dos Demais Contemplados. 

Entre os homenageados: 

* Três Bombeiros Soterrados, quando Socorriam Vítimas dos Deslizamentos de Terra na Região Serrana de Petrópolis, em Março de 2013, Serão Agraciados com a Medalha de Ouro. 

* Dois deles - Fernando Fernandes Lima e Paulo Roberto Filgueiras - Morreram durante a ação. A Medalha Será Recebida por Familiares. 

*Já o Assessor de Prevenção e Preparação da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa Civil de Petrópolis, Ricardo Luiz Marques Correa, que Ficou em Coma, mas Sobreviveu, Receberá Pessoalmente a Honraria. 

A Premiação, Criada em 2002, por Meio do Decreto nº 4.217, é Destinada a Distinguir e Recompensar, anualmente, até 50 Personalidades Civis e Militares, Nacionais ou Estrangeiras, e Instituições Civis ou Militares, que Tenham Prestado Relevantes Serviços ao País e à Comunidade Nacional, em Assuntos de Defesa Civil. 








Referências:

http://www.mi.gov.br/noticias/-/asset_publisher/xW1t/content/medalha-defesa-civil-nacional-2013-sera-entregue-durante-a-abertura-da-2%C2%AA-cnpdc?redirect=http%3A%2F%2Fwww.mi.gov.br%2Fnoticias%3Fp_p_id%3D101_INSTANCE_xW1t%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3Dcolumn-4%26p_p_col_count%3D2



quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Maior Queimada da História em Petrópolis

Maior Queimada da História em Petrópolis
De acordo com o chefe da Unidade de Conservação da Reserva Biológica de Araras, Ricardo Ganem, desde que entrou para a Rebio Araras, há 18 anos, nunca houve um incêndio de tamanha proporção como o que ocorre em Petrópolis há quase duas semanas.
Desde que começou, no dia último dia sete, estima-se que mais de três mil hectares já foram devastados na cidade. Segundo ele, o atual já superou o incêndio de 2007, um dos piores na região Serrana.
– Eu Estou há 18 anos como diretor e chefe da Unidade de Conservação de Araras e trabalho diretamente com combate a incêndios.
O Pior até hoje foi o de 2007. Mas posso garantir que o atual já superou, posso garantir que este é o pior dos últimos 20 anos – diz.
A impressão é Reforçada pelo comandante do destacamento de Itaipava do Corpo de Bombeiros, Coronel Roberto Robadey Jr.
– Não posso dizer que é a maior, mas nos meus 29 anos como bombeiro, eu nunca vi nada parecido. O maior que eu já atuei até hoje foi o de 2007, em Nova Friburgo. Mas esse eu posso dizer que está maior uns 40% – analisa.
O Secretário de Defesa Civil, Coronel Rafael Simão, também confirma que essa é a maior em área queimada, apesar de não precisar o tamanho da devastação – o destacamento de Itaipava, responsável por fornecer dados oficiais, também não sabe qual a área já incendiada.
– Todos os anos há queimadas, mas esse ano a área queimada está acima da média e também há um grande número de focos – fala Simão.
Ontem (sábado) pela manhã, de acordo com Ricardo, os Bombeiros do destacamento de Itaipava, com o auxílio de dois helicópteros – um da Marinha e outro da Polícia Militar – conseguiu extinguir um foco na Estrada das Perobas, em Araras.
Em seguida, os helicópteros foram colocados para atuar no combate ao foco no Brejal e no Taquaril. Além disso, oito bombeiros e sete guardas municipais atuavam por terra.
Essa Equipe também estava trabalhando no Alto do Pegado, em Pedro do Rio e Secretário, onde o fogo estava avançando.
No Calembe, em Nogueira, uma Equipe foi averiguar um foco que foi informado pelos moradores.
* Por que a queimada não acaba?
De acordo com Ricardo Ganem, os Inimigos São as Condições Climáticas. Ele garante que está sendo feito tudo que pode pelas equipes trabalham no combate ao fogo.
– Os Piores Inimigos São:
* A Temperatura Alta, a Falta de Chuva, Umidade Baixa e a Vegetação Muito Seca.
Nós Estamos fazendo tudo o que é possível: Equipes na Terra, com Bombeiros, Guarda Municipal, Polícia Militar, e também pelo Ar, com helicópteros da Marinha, da PM. Nada operacional está em falta, nós temos bons recursos para poder atuar – informa Ricardo.
Cel. Simão também apontou o Vento como Prejudicial neste sábado. Mas, o Secretário é outro que aponta que a Resposta às Queimadas Foi Eficiente.
– Com Certeza nunca vi resposta tão boa. Tanto pelo número de bombeiros, de viaturas e até mesmo de aeronaves, o resultado foi uma resposta rápida e eficiente – considera. Segundo ele, as grandes preocupações são as áreas de preservação ambiental e que possuem casas.
Por isso, o Coronel José Maurício Padrone, da Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais da Secretaria de Estado do Ambiente, um trabalho importante é o da conscientização da população para não usar fogo de maneira que possa gerar novos focos.
– A Polícia Ambiental está fazendo um trabalho de formiguinha, conversando com os moradores de áreas próximas aos focos para não usar fogo para qualquer atividade, seja para queimar lixo ou qualquer outra coisa. Qualquer fagulhar, a essa altura, é fatal – afirma Cel. Padrone.
Ele Orienta que os vizinhos fiquem atentos para o surgimento de focos e pede que denunciem caso vejam alguém colocando fogo de maneira perigosa. Segundo o cel., esse trabalho de conscientização vai perdurar enquanto “São Pedro não ajudar”. E a previsão é de que só chova por aqui na terça-feira.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Roer petrópolis nas comunicações devido ao grande numero de focos de incêndio Na cidade .

Equipe Operacional em deslocamento para o Setor Ponte Funda - Vale das Videiras.
06 Guarda Parques, 01 viatura e 02 quadriciclos que serão responsáveis em acessar as partes mais altas para levar suprimentos, moto bombas, ferramentas e outros.
Rádio Operadores do Roer Petropolis já em operação com a Rebio-araras Inea.
Maiores informações :https://www.facebook.com/roerpetropolisrj