Apoio

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Defesa Civil reúne 23 órgãos para debater simulado do Plano de Contingência.

Defesa Civil reúne 23 órgãos para debater simulado do Plano de Contingência.
A Secretaria de Proteção e Defesa Civil se reuniu, nesta sexta-feira (12/9), com 23 órgãos relacionados à resposta de desastres das chuvas para debater o simulado do Plano de Contingência de Petrópolis, previsto para outubro. Na ocasião, os representantes dessas entidades irão simular a resposta a um desastre das chuvas na Estrada da Saudade. Cada órgão indicará o que faria nessa situação, para quem ligaria, quais recursos e pessoas seriam mobilizados, entre outras decisões. O objetivo da Defesa Civil é deixar a cidade cada vez mais segura, com a integração entre diferentes órgãos e a profissionalização da resposta às chuvas.
O encontro, realizado no Centro de Cultura Raul de Leoni, foi o terceiro entre os órgãos para tratar sobre o simulado. Os representantes concordaram com o adiamento do simulado, previsto
inicialmente para o dia 17 de setembro. Com a nova data, haverá mais tempo para os órgãos tirarem dúvidas sobre a apresentação que farão no dia 30. Além disso, alguns órgãos não puderam participar da reunião desta sexta-feira.
“É determinação do prefeito Rubens Bomtempo que a Defesa Civil atue fortemente na prevenção. Para isso, não conseguiremos andar sozinhos. Precisamos das outras secretarias de governo, de órgãos estaduais, do Corpo de Bombeiros, das concessionárias de serviços públicos, como água e energia elétrica. Com a participação de todos, poderemos deixar Petrópolis cada vez mais segura. É preciso que, em uma situação de chuvas fortes, todos os órgãos saibam exatamente o que fazer. Por isso a importância desse simulado e que todos estejam presentes”, disse o secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão.
No exercício simulado de mesa será descrito aos órgãos envolvidos o cenário do desastre: a intensidade da chuva, com hora e local, os índices pluviométricos, as ocorrências registradas no Centro de Operações (Ceop) da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, as informações que chegam à Defesa Civil sobre deslizamentos, inundações e fechamento de vias, entre outros dados.
Estavam presentes na reunião representantes das secretarias de Educação, de Saúde, de Fazenda, de Obras, de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac), de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, e de Controle Interno; Procuradoria Geral do Município; Companhia de Trânsito e Transportes (CPTrans); Instituto de Previdência e Assistência Social do município (Inpas); Companhia de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep); Ampla; a empresa que faz manutenção das sirenes, Gridlab; Companhia Estadual de Gás (CEG); Águas dos Imperador; Corpo de Bombeiros (CBMerj); Destacamento de Controle do Espaço Aéreo do Pico do Couto; Exército (32º Bitmz); Rede de Operações de Emergência de Radioamadores (Roer); Serviço Geológico do Estado do Rio (DRM-RJ); Departamento Geral de Defesa Civil (Degedec); e Defesa Civil de Areal.
A Secretaria de Proteção e Defesa Civil se reuniu, nesta sexta-feira (12/9), com 23 órgãos relacionados à resposta de desastres das chuvas para debater o simulado do Plano de Contingência de Petrópolis, previsto para outubro. Na ocasião, os representantes dessas entidades irão simular a resposta a um desastre das chuvas na Estrada da Saudade. Cada órgão indicará o que faria nessa situação, para quem ligaria, quais recursos e pessoas seriam mobilizados, entre outras decisões. O objetivo da Defesa Civil é deixar a cidade cada vez mais segura, com a integração entre diferentes órgãos e a profissionalização da resposta às chuvas.
O encontro, realizado no Centro de Cultura Raul de Leoni, foi o terceiro entre os órgãos para tratar sobre o simulado. Os representantes concordaram com o adiamento do simulado, previsto
inicialmente para o dia 17 de setembro. Com a nova data, haverá mais tempo para os órgãos tirarem dúvidas sobre a apresentação que farão no dia 30. Além disso, alguns órgãos não puderam participar da reunião desta sexta-feira.
“É determinação do prefeito Rubens Bomtempo que a Defesa Civil atue fortemente na prevenção. Para isso, não conseguiremos andar sozinhos. Precisamos das outras secretarias de governo, de órgãos estaduais, do Corpo de Bombeiros, das concessionárias de serviços públicos, como água e energia elétrica. Com a participação de todos, poderemos deixar Petrópolis cada vez mais segura. É preciso que, em uma situação de chuvas fortes, todos os órgãos saibam exatamente o que fazer. Por isso a importância desse simulado e que todos estejam presentes”, disse o secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão.
No exercício simulado de mesa será descrito aos órgãos envolvidos o cenário do desastre: a intensidade da chuva, com hora e local, os índices pluviométricos, as ocorrências registradas no Centro de Operações (Ceop) da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, as informações que chegam à Defesa Civil sobre deslizamentos, inundações fechamento de vias, entre outros dados.
Estavam presentes na reunião representantes das secretarias de Educação, de Saúde, de Fazenda, de Obras, de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac), de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, e de Controle Interno; Procuradoria Geral do Município; Companhia de Trânsito e Transportes (CPTrans); Instituto de Previdência e Assistência Social do município (Inpas); Companhia de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep); Ampla; a empresa que faz manutenção das sirenes, Gridlab; Companhia Estadual de Gás (CEG); Águas dos Imperador; Corpo de Bombeiros (CBMerj); Destacamento de Controle do Espaço Aéreo do Pico do Couto; Exército (32º Bitmz); Rede de Operações de Emergência de Radioamadores (Roer); Serviço Geológico do Estado do Rio (DRM-RJ); Departamento Geral de Defesa Civil (Degedec); e Defesa Civil de Areal.
Fonte:http://www.petropolis.rj.gov.br/pmp/index.php/imprensa/noticias/item/2631-defesa-civil-re%C3%BAne-23-%C3%B3rg%C3%A3os-para-debater-simulado-do-plano-de-conting%C3%AAncia.html















sábado, 30 de agosto de 2014

Órgãos unem forças para prevenir ocorrência de queimadas em Petrópolis

Órgãos unem forças para prevenir ocorrência de queimadas em Petrópolis

Órgãos relacionados à prevenção e à resposta às queimadas em Petrópolis se reuniram nesta sexta-feira (29/8), na Secretaria de Proteção e Defesa Civil, para dar início à elaboração de um Plano de Contingência específico para os incêndios florestais. A proposta da Prefeitura é promover uma integração entre diversos órgãos para coibir as queimadas, conscientizar a população sobre os problemas causados por esse tipo de incêndio e agilizar a resposta do poder público a cada evento.

Na semana passada, cerca de dez hectares – o equivalente a dez campos de futebol – da região do Taquaril, na Posse, foram devastados por uma queimada. Houve também queimada na região de Nogueira. O incêndio florestal, além do prejuízo ambiental, representa risco para a saúde da população e para a estrutura de residências. Além disso, a queimada ainda gera risco de deslizamentos no caso de chuvas, já que devasta a vegetação, retirando a proteção do solo.

“Esse planejamento específico para queimadas é para coibir cada vez mais essa prática no nosso município. Assim, melhoramos o combate, a fiscalização, a conscientização da população e o treinamento dos órgãos envolvidos. Colocar fogo nas matas é crime ambiental. A lei federal 9.605, de 1998, prevê prisão de dois a quatro anos e multa para quem provocar incêndio em mata ou floresta”, disse o diretor operacional da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, Ramon Camilo.

Estavam presentes na reunião representantes da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), da Rede Operações de Emergência de Radioamadores (Roer) e do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso). Nova reunião será realizada em outubro e outros órgãos também serão chamados.

“Vamos pegar o planos de contingência que já existem em cada órgão e produzir um plano de ação único, integrando os órgãos. Não podemos atuar de forma isolada, mas em conjunto. Caberá à Defesa Civil o planejamento, a articulação e a coordenação das ações”, disse o diretor administrativo da Defesa Civil, Gileno Alves.

O chefe da Reserva Biológica de Araras (Rebio-Araras) do Inea, Ricardo Ganen, destacou o avanço que representa para o município a integração entre órgãos para a prevenção de queimadas. “A Defesa Civil está deixando de atentar só para os efeitos das águas e voltando atenções também para o fogo. Hoje a Defesa Civil tem estrutura. Na sede antiga, no Campo do Serrano, não havia recursos materiais nem humanos. Era apenas o esforço dos servidores”, disse Ricardo. Em 2013, o prefeito Rubens Bomtempo transformou a Defesa Civil de coordenadoria para Secretaria. Com isso, a pasta ganhou recursos humanos e estruturais.
http://petropolistimes.blogspot.com.br/2014/08/orgaos-unem-forcas-para-prevenir.html

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Reunião Simulado de Mesa 27/08/ 2014

    Defesa Civil de Petrópolis Fará Simulado do Plano de Contingência em Setembro                                     





O Plano de Contingência de Petrópolis Será Testado pela Secretaria de Proteção e Defesa Civil em Setembro, em Um Exercício Simulado de Mesa.
Na Ocasião, Representantes de Órgãos Envolvidos na Resposta a Desastres Estarão Reunidos, Simulando o que Fariam, Para Quem Ligariam, Quais Recursos e Pessoas Seriam Mobilizados, entre Outras Decisões a Serem Tomadas Após Ocorrências em Consequência das chuvas.
Nesta terça-feira (19/8), Cerca de 30 Pessoas de 18 Órgãos Participaram de Uma Reunião de Trabalho, na Sede da Defesa Civil, para Discutir o Simulado.
A Proposta das Reuniões de Trabalho, do Exercício Simulado de Mesa e do Plano de Contingência é Profissionalizar Cada Vez Mais a Defesa Civil de Petrópolis.
Assim, com Essas Ações, os Órgãos Envolvidos Saberão Exatamente o Que Fazer em uma Situação de Desastre das Chuvas.
“O Plano de Contingência Define o Papel de Cada Órgão Após um Desastre Natural. O exercício Simulado de Mesa é para Colocar na Prática o Plano, para Vermos o Que Temos que Mudar”, Disse o Diretor Administrativo da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, Gileno Alves.
Após o Simulado, a Defesa Civil fará Modificações no Plano para que ele Já Esteja Aperfeiçoado já Para o Próximo Verão.
O Plano de Contingência Foi Apresentado pelo Prefeito Rubens Bomtempo em dezembro – pela primeira vez, o Documento foi Elaborado sob a forma de matriz, ou seja, com as atribuições de cada órgão descritas em planilhas.
“O simulado é Uma Forma de Unificarmos as Normas e os Procedimentos dos Órgãos Envolvidos”, Disse o Diretor Operacional da Defesa Civil, Ramon Camilo.
“Todos os Órgãos Devem Estar Empenhados e se Falando. O Simulado Contribui para que Tenhamos Uma Gestão Integrada do Desastre”, Disse o Coordenador da Central Estadual de Administração de Desastres do Rio de Janeiro (Cestad), Gil Kempers.
Na Reunião de Trabalho Estavam Presentes Representantes das:
* Secretarias Municipais de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, de Saúde, de Agricultura, Abastecimento e Produção, de Trabalho,Roer petrópolis, Assistência Social e Cidadania (Setrac), da Companhia Estadual de Gás (CEG), da Cruz Vermelha, do Corpo de Bombeiros (15º CBMERJ), do Serviço Geológico do Estado do Rio (DRM-RJ), da Secretaria de Estado de Defesa Civil, da Polícia Militar (26º BPM), da Polícia Civil (105ª DP e 106ª DP), da Concer, da Ampla, do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), da Defesa Civil de Areal e do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).
 — em Petrópolis.

















segunda-feira, 25 de agosto de 2014